Agenda

Exposição "Agora ou nunca – Devolução: paisagens audiovisuais" de Maureen Bisilliat

IMS Paulista - Avenida Paulista, 2424 São Paulo

Exposição "Agora ou nunca – Devolução: paisagens audiovisuais" de Maureen Bisilliat
COMUNICADO IMPORTANTE : Devido a pandemia do Covid-19, anunciado 12/3 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendamos que confirmem a realização dos eventos antes de se deslocarem. As informações mudam a todo momento.Telefone para contato com a organização da exposição no final da página. 

 

 

Maureen Bisilliat revê sua trajetória em exposição e filme 
lançados pelo Instituto Moreira Salles

A abertura da mostra e o lançamento do documentário em DVD acontecem no próximo sábado (15 de fevereiro), na sede paulista do IMS

 


Prestes a completar 89 anos, a fotógrafa Maureen Bisilliat é autora de uma obra ampla, que retrata as contradições e os personagens do Brasil profundo. A partir da década de 1980, parou de fotografar profissionalmente e passou a se dedicar ao registro em vídeo. Nos últimos oito anos, em sua própria casa, tem pesquisado e organizado esse acervo audiovisual, num processo de revisão e balanço de sua vida e obra.

Esse mergulho em sua produção em vídeo resultou na exposição Agora ou nunca – Devoluçãoque inaugura no próximo sábado (15 de fevereiro), no IMS PaulistaTambém foi a fonte para a produção do documentário Equivalências: aprender vivendo, que o IMS lança, em DVD, no mesmo dia (15/2).

O filme será exibido, às 16h, no cinema da sede paulista, com apresentação de Bisilliat. Em seguida, às 18h, acontece a abertura da exposição, com a presença da artista. Baseados no mesmo material, tanto o documentário quanto a exposição apresentam uma síntese das memórias e vivências da fotógrafa.

Em cartaz no IMS Paulista até abril, a mostra Agora ou nunca – Devolução é composta por 12 vídeos. Concebida por Bisilliat e Rachel Rezende, do departamento de Fotografia do IMS, a instalação inclui materiais produzidos dos anos 1960 a 2018. Entre eles, estão registros de reencontros da artista com personagens que fotografou no passado, em regiões como o morro da Mangueira, no Rio de Janeiro, e o Recôncavo Baiano. 

A exposição traz ainda filmagens relacionadas à atuação de Bisilliat no Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso. A fotógrafa visitou o local pela primeira vez, na década de 1970, a convite de Orlando Villas Bôas. A partir de então, voltou várias vezes e produziu ensaios retratando a vida dos povos xinguanos.

A mostra apresenta também trechos de entrevistas que Bisilliat realizou ao longo de sua vida, com personalidades como Darcy Ribeiro, Roberto Burle Marx, Pietro Maria Bardi e Alberto Korda. A artista comenta o material: "Em minha obra, tento captar as essências das coisas, e, por isso, a palavra é tão importante para mim. É sentir o que as pessoas nos dão. [..] Não são apenas entrevistas, mas momentos que espero ter ido além. No fundo, se trata de falar dos encontros e desencontros da vida."

Criando um mosaico de memórias, a exposição ressalta a importância da troca na obra da artista, como afirma Rezende: "Para Maureen, cuja fotografia sempre priorizou a expressão do encontro frente à técnica, não existe precariedade; instabilidade é linguagem. Registro é obra, a matéria do trabalho. Negando-se cineasta, declarando categoricamente ter sido uma fotógrafa acidental, aos 89 anos, ela se afirma uma artista contemporânea."

Esse tom autobiográfico também marca o documentário Equivalências: aprender vivendo. Com roteiro e direção de Bisilliat, o filme costura memórias com trechos de palestras, entrevistas e cenas em família. Nas palavras da artista, o documentário é "sobre o que eu faço. E o que eu faço é o que eu sou." O filme passa a integrar a coleção de DVDs do IMS, que conta com títulos de nomes como Nelson Pereira dos Santos, Eduardo Coutinho e David Perlov.

Com uma carreira de mais de cinco décadas, Bisilliat registrou as tradições e os personagens do país que adotou como seu. Agora revê sua trajetória, num balanço íntimo e intenso de sua forma de olhar e captar o mundo: "De temerosa responsabilidade o debruçar sobre as tradições de um país. Pelos erros e acertos, pelo que não vi, e pelo que vi e não captei, peço compreensão", afirma.

Mais sobre a fotógrafa

Nascida na Inglaterra, Maureen Bisilliat mudou-se para o Brasil na década de 1950. Iniciou sua carreira como fotógrafa em 1962, atuando durante 10 anos nas revistas Realidade Quatro Rodas. Ao longo de sua trajetória, produziu obras em diálogo com a literatura e a produção de escritores como Euclides da Cunha, e João Guimarães Rosa. Em 1979, em coautoria com os irmãos Villas Bôas, lançou o livro Xingu: território tribal. Em 1988, foi convidada por Darcy Ribeiro para criar um acervo de arte popular latino-americana, do qual nasceu o Pavilhão da Criatividade da Fundação Memorial da América Latina. Em 2003, o Instituto Moreira Salles adquiriu seu acervo fotográfico. No ano passado, o IMS publicou uma nova edição de seu livro Sertões: luz & trevas e também apresentou a mostra Escrever com a imagem e ver com a palavra: fotografia e literatura na obra de Maureen Bisilliat, exibida no IMS Rio e no IMS Paulista.

 

Serviço

Exposição Agora ou nunca – Devolução: paisagens audiovisuais de Maureen Bisilliat
Abertura: 15 de fevereiro, às 18h, com a presença de Bisilliat
Visitação: até 5 de abril
Galeria 1| IMS Paulista
Entrada gratuita

Exibição do filme Equivalências: aprender vivendo, com apresentação de Bisilliat
15 de fevereiro, às 16h
Cinema do IMS Paulista
Entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes e limite de 1 senha por pessoa

DVD - Equivalências: aprender vivendo
Roteiro e Direção: Maureen Bisilliat
Filmagens: Lúcio Kodato, Fábio Knoll, Maureen Bisilliat, Sophia Bisilliat
Montagem: Felipe Lafé
Produtora: Talentos Aprisionados Produções Artísticas Ltda.
Apoio: Vento Leste

IMS Paulista
Avenida Paulista, 2424
São Paulo
Tel.: 11 2842-9120
imspaulista@ims.com.br 

Horário de funcionamento: de terça a domingo e feriados, das 10h às 20h; quintas, das 10h às 22h