Artistas

Willian Santos

Bacharel em Artes Visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná – 2009, onde inicia a investigação e a manufatura em torno da pintura e dos mistérios da vida. Motivado por questões sociais e culturais do nosso tempo, sua pesquisa é um provocar da arte à ressignificação da nossa percepção de mundo, o presente conduzido por um entrecho fundado dos planos da arte, filosofia, ciência e da espiritualidade. Em 2019 participa das exposições coletivas Com Título e Sem Título, Técnicas e Dimensões Variadas, e Geraldo Leão – Declaração de Princípios, ambas no Museu Oscar Niemeyer, Curitiba. Neste ano também é indicado ao prêmio PIPA. Em 2018 foi convidado a integrar dois projetos site-specific: Cada Vez Mais Perto, ocupando um apartamento na praça central de Curitiba e Infinitos Campos Gerais, realizando instalações nos cômodos do Casarão Principal da Fazenda Capão Alto, Patrimônio Cultural da cidade de Castro, Paraná. Em 2016 é premiado no 19o Edital de incentivo à produção Chico Lisboa, Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS e em 2015 participa da residência artística: Encontro de Artistas Novos, Centro Cultural de España en Montevideo, Atlántida- Uruguay. Dentre as suas exposições destacam-se as individuais: Recôndito Plasmado, SIM Galeria, Curitiba, 2018; nem todo líquido se desmancha em ar, Galeria Casa da Imagem, Curitiba, 2013; Desenhos, Museu de Arte de Joinville - MAJ, Santa Catarina, 2012. E das exposições coletivas: QUEERMUSEU Cartografias da diferença na arte brasileira, Cavalariças do Parque Lage, Rio de Janeiro, 2018 e no Santander Cultural, Porto Alegre, 2017; PINTURA [diálogo de artistas], Caixa Cultural, Rio de Janeiro, 2017; Construções de Ilusão, Bienal Internacional de Curitiba, SESC Paço da Liberdade, Curitiba, 2013. Suas obras integram os acervos do Museu Oscar Niemeyer em Curitiba e no Museu de Arte de Joinville em Santa Catarina.

Obras do artista