Agenda

Exposição "Aqui estou, estamos" individual de Ivan Grilo

Luciana Caravello Arte Contemporânea - Rua Barão de Jaguaripe, 387 - Ipanema

Exposição "Aqui estou, estamos"  individual de Ivan Grilo

 

COMUNICADO IMPORTANTE : Devido a pandemia do Covid-19, anunciado 12/3 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendamos que confirmem a realização dos eventos antes de se deslocarem. As informações mudam a todo momento.Telefone para contato com a organização da exposição no final da página. 

 

 

Ivan Grilo na Luciana Caravello Arte Contemporânea

 

O artista abre sua terceira individual na Galeria Luciana Caravello que ocupará o primeiro piso da galeria com obras inéditas.

 

Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rio

Inauguração: 5 de março de 2020, às 19h

Exposição: 6 de março a 11 de abril de 2020

Entrada franca

 

 

 

 No dia 5 de março a Luciana Caravello Arte Contemporânea abre ‘Aqui estou, estamos’, terceira exposição individual de Ivan Grilo na galeria. A exposição traz obrasde diferentes mídias , como escultura, fotos e uma instalação de 6 metros, entitulada “Estudo para sambaqui”, que para o artista é o trabalho mais relacionado com o título da exposição.

 

 

Os trabalhos de Ivan tem como núcleo central de pesquisa a relevância de arquivos históricos e orais, juntamente com as diferentes possibilidades de leitura sobre um mesmo fato. Tomando como ponto de partida a fotografia principalmente como forma de documentação e registro de tempo, o artista busca dissecar os papéis representativos, políticos, narrativos, conceituais e estéticos da imagem, às vezes questionando ou mesmo reescrevendo de outro ângulo o material original, sutilmente embaçando a memória e a ação do tempo.Há nos trabalhos mais recentes uma busca pela intersecção entre amor e política — “Uma busca utópica de encontrar esse pequeno conjunto no frágil momento presente.”diz o artista

 

Parte dos novos trabalhos nasce do binômio PALAVRA e SONHO, como relata o próprio artista: “Trago as duas palavras comigo no bolso há anos. Acho que a primeira vez que as ouvi juntas foi em 2016. Eu estava longe, mas me lembro do C. e do M. no Capanema falando que isso era só o que tínhamos. E era com isso que lutaríamos. […] De lá pra cá, eu usei isso todos os dias e sigo com as duas, agora não mais nos bolsos, mas entre as mãos. Bem apertadas. E aqui estou. Estamos.”

 

Na exposição, que conta com objetos em bronze, fotografias e pequenas instalações, é possível notar a influência das pesquisas do neurocientista Sidarta Ribeiro e das palavras de Dona Vanja, da Comunidade Quilombola de Novo Airão (AM) — “Antigamente eu sonhava com histórias assim. Não eram histórias que eu inventava. Tudo que eu sei vem de sonho.”

 

A exposição conta com texto da curadora e pesquisadora Natalia Lavigne, com quem o artista vem dialogando desde a residência que realizou em Nova Iorque, no AnnexB Art Residency, enquanto a curadora participava do programa de pesquisas da universidade The New School.

 

SOBRE O ARTISTA

 

Ivan Grilo é formado em Artes Visuais pela PUC-Campinas (2007). Em 2016 realizou a exposição individual “Preciso te contar sobre amanhã” na Luciana Caravello Arte Contemporânea (RJ), em 2015 “Quero ver” na Casa Triângulo (SP), em 2014 “Quando Cai o Céu”, no Centro Cultural São Paulo, e participou da exposição coletiva “Novas Aquisições da Coleção Gilberto Chateaubriand”, no MAM e “Pororoca, a Amazônia no MAR”, no Museu de Arte do Rio.  Em 2013, exibiu o projeto “Estudo para medir forças” na Casa França-Brasil, e também foi premiado no PROAC Artes Visuais. Foi um dos três vencedores do prêmio FOCO Bradesco ArtRio 2016 e em 2012 recebeu o Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

 

As principais exposições solo incluem “Sentimo-nos Cegos”, na Luciana Caravello Arte Contemporânea, “Quase/Acervo”, no Museu da República, “Ninguém” no Paço das Artes, e “Isso é tudo de que preciso me lembrar”, no SESC Campinas. Entre suas exposicões coletivas estão: Bienal MASP Pirelli de Fotografia, em São Paulo, 1ª Bienal do Barro em Caruaru, 2ª Bienal Ural de Arte Contemporânea, Rússia, 16ª Bienal de Cerveira, Portugal, 11ª Bienal do Recôncavo, São Félix e Arte Pará , no Museu Histórico do Estado do Pará.

 

Seu trabalho faz parte das coleções do Museu Pérez, Miami, Museu Solomon R. Guggenheim, Nova York; Col. Fundação ARCO, CCA2M - Centro de Arte Dos de Mayo da Comunidade de Madri; Museu de Arte Moderna de São Paulo; Museu de Arte do Rio; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro / Coleção Gilberto Chateaubriand; Fundação Bienal de Cerveira e outros.

 

LUCIANA CARAVELLO ARTE CONTEMPORÂNEA      

O principal objetivo da Luciana Caravello Arte Contemporânea, fundada em 2011, é reunir artistas com trajetórias, conceitos e poéticas variadas, refletindo assim o poder da diversidade na Arte Contemporânea. Evidenciando tanto artistas emergentes quanto estabelecidos desde seu período como marchand, Luciana Caravello procura agregar experimentações e técnicas em suportes diversos, sempre em busca do talento, sem discriminações de idade, nacionalidade ou gênero.

 

 

 

Serviço: Ivan Grilo

Abertura: 5 de março de 2020, das 19h às 22h

Exposição: até 11 de abril de 2020

Luciana Caravello Arte Contemporânea

Rua Barão de Jaguaripe, 387 - Ipanema

Telefone: (21) 2523.9637

De segunda a sexta, das 10h às 19h. Sábado, das 11h às 15h. 

Entrada franca

www.lucianacaravello.com.br