Artistas

Paulo Nazareth

O trabalho de performance e instalação de Paulo Nazareth (1977, Governador Valadares) explora com frequência suas raízes africanas e indígenas. Seu projeto em andamento Cadernos de África é apresentado como parte da programação Journal: uma caminhada de cinco anos que começou em 2013 em sua casa em uma favela perto de Belo Horizonte, cruzando todo Brasil, e posteriormente por todo o continente africano a partir da Cidade do Cabo em direção ao norte. Sua caminhada-performance representa um questionamento lento e em tempo real de sua própria experiência e dos indivíduos que ele encontra em seu caminho, traçando uma sutil matriz de conexões que vincula não apenas pessoas, mas comunidades e histórias compartilhadas. Suas instalações consistem em arranjos de itens colecionados e trabalhos em vídeo que documentam sua jornada. O artista lida com vários assuntos que normalmente estão ligados à raça, ideologia e distribuição desigual do desenvolvimento. Sua prática é ao mesmo tempo interdisciplinar e participativa. Nazareth busca personificar a ideia do artista como conector, decodificador e filósofo. 

O trabalho de Nazareth já foi exibido no mundo todo. Exposições individuais e coletivas incluem: Premium Bananas, Museu de Arte de São Paulo – MASP, São Paulo, Brasil, 2012-2013; Veneza Neves, Veneza, Ribeirão das Neves, Minas Gerais, Brasil, 2013; News from Americas, Mendes Wood DM, São Paulo, Brasil, 2012; Museu de Arte de Pampulha, Belo Horizonte, Brasil, 2007. Suas exposições coletivas incluem: Imagine Brazil, Astrup Fearnley Museet, Oslo, Noruega, Meanwhile… Suddenly And Then; 12a Bienal de Lyon, Lyon, França 2013-2014; Unstable Territory: Borders and Identity in Contemporary Art, Centro de Cultura Contemporânea do Palazzo Strozzi; CCC Strozzina, Florença, Itália; The Insides are on the Outside – O interior está no exterior, Casa 
de Vidro, São Paulo, Brasil; The Encyclopaedic Palace, 55a Bienal de Veneza, Veneza, Itália, Museum as Hub: Walking Drifting Dragging, New Museum, Nova York, EUA, 2013. 

Ele vive e trabalha pelo mundo.

Obras do artista