Artistas

Otobong Nkanga

Otobong Nkanga estuda as mudanças sociais e topográficas do ambiente ao seu redor. Ao explorar a noção de terra como um lugar de não pertencimento, Nkanga fornece um significado alternativo aos conceitos sociais de identidade; Paradoxalmente, ela traz à luz as memórias e os impactos históricos provocados pelos seres humanos e pela natureza. A pesquisa da artista une todos os vários componentes que formam o nosso ambiente, observando as inerentes complexidades de recursos como o solo, a terra e seus potenciais valores, a fim de provocar narrativas e histórias sobre esse lugar.


Como uma antropóloga - traçando os meios violentos pelos quais minerais e objetos apresentados são exumados de seus ambientes naturais - Nkanga coloca os vários acontecimentos no processo de colonização em um contexto contemporâneo. Ao fazer isso, a artista recria nossa relação com o ambiente cotidiano e levanta questões sobre a estrutura histórica de um lugar, tanto física quanto metafisica.

Otobong Nkanga (Kano, Nigeria, 1974) vive e trabalha na Antuérpia.

Suas exposições individuais mais recentes incluem To Dig a Hole that Collapses Again, MCA Museum of Contemporary Art, Chicago (2018); Wetin You Go Do?, The Tanks at Tate Modern, Blavatnik Building, Londres (2017); The Encounter That Took a Part of Me, Kunsthal Aarhus, Aarhus (2017); The Encounter That Took a Part of Me, Nottingham Contemporary, Nottingham (2016); Diaoptasia, Tate Modern, Londres (2015); Comot Your Eyes Make I Borrow You Mine, Kadist Art Foundation FR, Paris (2015); Crumbling Through Powdery Air, Portikus, Frankfurt (2015).

Seus trabalhos também foram inclusos em mostras coletivas institucionais como Cosmogonies, au gré des éléments, Musée d'art moderne et d'art contemporain (MAMAC), Nice (2018); General Rehearsal, Moscow Museum of Modern Art, Moscou (2018); Documenta 14, Atenas / Kassel (2017); I am a native foreigner, Stedelijk Museum Amsterdam (2017); Take Me (I’m Yours), Pirelli Hangarbicocca, Milão (2017); Dialogues, Manifesta – The European Biennial of Contemporary Art, Amsterdam (2017); Life Itself, Moderna Museet, Estocolmo (2016); Museum on/off, Centre Pompidou, Paris (2016); 13th Biennale de Lyon, La vie moderne, Lyon (2015). 

Obras do artista