Agenda

Exposição: “Corpo e Alma”

Museu de Arte Sacra - Estação Tiradentes do Metrô - São Paulo – SP

Exposição: “Corpo e Alma”

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, exibe a exposição “Corpo e Alma”, do artista plástico João Trevisan, sob curadoria de Simon Watson. Composta por trabalhos com técnicas e suportes diferenciados, a exposição apresenta 28 obras criadas nos três últimos anos, com uma seleção de pinturas a óleo, esculturas em madeira talhada e ferro bruto e uma vídeo-performance, registrada em local próximo ao estúdio do artista em Brasília. “Trevisan cria pinturas e esculturas que são meditações de fisicalidade, buscando criar um espaço que ofereça uma profunda contemplação ao púbico”, define o curador. João Trevisan: Corpo e Alma, é a primeira mostra individual institucional do artista e a primeira exposição do projeto LUZ Contemporânea.

A exposição, instalada no sentido horário, começa com os primeiros trabalhos do período – pinturas tão pequenas como livros de orações – e finaliza com os mais recentes – pinturas com dimensões semelhantes a murais. Intercaladas às telas, estão as esculturas. Para João Trevisan, o processo de pintura se assemelha a uma meditação profunda e inclui percorrer, varrer a superfície de cada trabalho mais de 500 vezes até atingir brilho polido. A cor preta, intensa, exibida na série de pinturas “Intervalo”, lhes concede uma qualidade meditativa que parece aludir não só à noite, mas ao cosmos como um todo.

“Essas são pinturas que, devido à sua tonalidade densa e escura, pedem vários minutos de observação intensa para simplesmente capturá-las. Elas exemplificam o que podemos chamar de “slow art”, recriando em um idioma secular as condições de contemplação que são comuns nas práticas espirituais. Para alguns, a pintura pode até sugerir orações noturnas”, define Simon Watson.

As esculturas são construídas a partir de peças de ferro descartadas – parafusos, porcas, sucata etc. – e dormentes de madeira encontrados em pátios ferroviários. A qualidade bruta dessas esculturas parece remeter ao sec. XIX quando os trens de carga percorriam a rede ferroviária do Brasil. Em destaque estão grandes vigas de madeira conectadas por dobradiças de ferro; uma pilha organizada em forma de leque de grandes parafusos industriais; e uma pilha de placas de ferro - todas com uma sensual pátina de ferrugem avermelhada que ecoa as superfícies das pinturas próximas.

Como destaque, temos a escultura instalação site-specific de João Trevisan, no jardim interno do MAS/SP, sobre a qual ele diz: “Gosto de pensar nas sete esculturas dispostas de forma ordenada no pátio como sete corpos apontando em direção ao céu, como se estivesse de pé e pedindo permissão para estar naquele lugar monástico”.

Vários aspectos da técnica de João Trevisan se juntam na performance de vídeo de seis minutos da exposição, “Caminhar para acender”. Em um devaneio de uma performance que parece falar poeticamente sobre o material de origem das pinturas do artista, Trevisan é visto primeiro em um trilho de ferrovia, ‘lutando’

com um enorme pedaço de madeira e em seguida, carregando-o no ombro colina acima, onde, ao anoitecer, ele o queima. Para aqueles que se lembram de ouvir trens distantes, essa vídeo-performance atinge diretamente a memória. Mas a obra possui força própria para seduzir a todos. Instalado no Museu de Arte Sacra, ecoa pelos corredores repletos de artefatos do barroco brasileiro e ícones religiosos, para nos lembrar da luta humana e dos anseios espirituais.

A exposição está concentrada nos trabalhos que o artista desenvolveu recentemente durante o período onde pintura e escultura foram executadas simultaneamente. Ao conceber e conceituar essa exposição, Simon Watson buscou inspiração nas comemorações de aniversário de 50 anos da Rothko Chapel (Houston, TX, USA) esperando que a mensagem transmitida por João Trevisan: “Corpo e Alma” seja de profunda meditação e tranquilidade.

 

Projeto LUZ Contemporânea

Idealizado pelo curador Simon Watson, LUZ Contemporânea é composto por 12 exposições – individuais e/ou coletivas – de artistas contemporâneos a serem desenvolvidas, em parceria com o Museu de Arte Sacra de São Paulo, onde temas diversos oferecerão propostas e desafios aos artistas convidados buscando diálogo conceitual e material com obras do acervo da instituição... ou não! Cada mostra é única em seu próprio universo.

 

 

 

O artista – João Trevisan (Brasília, DF – 1986)

É pintor e escultor, residente em São Paulo. Bacharel em Direito e Licenciado em Geografia, expõe de forma contínua desde 2014 e é artista indicado no Prêmio PIPA nos anos de 2019 e 2020. Suas mostras mais recentes: Slag Gallery, New York, NY, USA; Museu Nacional da República, Brasília (2020/2021), Central Galeria, São Paulo (2020); Karla Osório, Brasília (2019); “Foro, Space”, Bogotá, Colômbia (2019). Suas obras são parte das coleções de instituições públicas e privadas do Brasil e do exterior. Seus trabalhos estão em acervos de coleções como Casa da Cultura da América Latina, Brasília, DF; MAR- Museu de Arte do Rio, RJ; MUN - Museu Nacional da República, Brasília, DF; e MARP-Museu de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP.

 

O curador – Simon Watson

Nascido no Canadá e criado entre Inglaterra e Estados Unidos, Simon Watson é curador independente e especialista em eventos culturais baseado em Nova York e São Paulo. Um veterano com trinta e cinco anos de experiencia na cena cultural de três continentes, Watson concebeu e assinou a curadoria de mais de 250 exposições de arte para galerias e museus, e coordenou programas de consultoria em colecionismo de arte para inúmeros clientes institucionais e particulares. Nas últimas três décadas, Watson trabalhou com artistas

emergentes e os pouco reconhecidos, trazendo-os para a atenção de novos públicos. Sua área de especialização curatorial é identificar artistas visuais com potencial excepcional, muitos dos quais agora são reconhecidos internacionalmente na categoria blue-chip e são representados por algumas das galerias mais famosas e respeitadas do mundo.

 

O museu

O Museu de Arte Sacra de São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, é uma das mais importantes do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 29 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 10 mil itens no acervo. Possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco de Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus, entre tantos, anônimos ou não. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

 

SERVIÇO

Exposição: “Corpo e Alma”

Artista: João Trevisan

Curadoria: Simon Watson

Abertura: 24 de abril de 2021, às 11hs.

Duração: de 20 de abril à 20 de junho de 2021

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo || MAS/SP

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 11 às 17h (entrada permitida até as 16hs)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem - mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares - mediante comprovação

INGRESSOS – Compra de Ingressos

Número de obras: 28

Técnicas: pinturas, esculturas, vídeo-performance

Dimensões: variadas