Artistas

Abraham Palatnik

Reconhecido internacionalmente como precursor do movimento que ficou conhecido como Arte Cinética, Palatnik figura nas coleções mais importantes do Brasil. Dono de um extenso currículo de exposições e prêmios, o artista ainda é inventor. Estudou em Tel Aviv, mas é no Brasil, na década de cinquenta, que começa a desenvolver seu trabalho como artista. Participa da 1ª Bienal de São Paulo com seu primeiro aparelho cinecromático e ganha menção especial do júri internacional. A partir disso vai desenvolver sua pesquisa sobre a luz, a cor e o movimento, criando objetos com partes móveis que funcionam através de energia elétrica ou “movimentam-se” pela ilusão ótica.

Desde o início Palatnik faz, ele mesmo, cada parte de suas obras: desde cortar a madeira, material constante em seus trabalhos, até desenhar os pequenos e complexos motores que possibilitam que algumas de suas obras se movimentem. Fez parte do Grupo Frente, contribuindo para o debate no Brasil sobre a arte abstrata e é considerado por Mário Pedrosa como responsável por desenvolver uma linguagem de ruptura. Participou também da Bienal de Veneza, Bienal do Mercosul e da importante exposição Art et Mouvement, na década de sessenta. Está nas coleções do MAM do Rio de Janeiro e São Paulo, MAC - Niterói, MAB – Brasília, entre outras.

Obras do artista