Artistas

Edu de Barros

Edu de barros, 1992, vive e trabalha na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Em 2015 se formou em Design na PUC-Rio. O artista também atua como pregador e profeta na Anoiva, a Igreja do Reino da Arte, uma entidade criada por artistas que acreditam no processo artístico como uma maneira de acessar o Divino. Em sua obra, desenhos, pinturas, esculturas, performances, objetos, filmes e instalações fazem parte de uma liturgia sagrada; pesquisa e profecia de uma heterotopia distópica, modelada pela presença de sinais bíblicos, elementos de insurgência cultural das favelas, conteúdo viral e ícones com potencial narrativo na vida cotidiana, objetos comuns, domésticos e descartes enquanto suporte os quais ele captura, intervém e ressignifica em composições substanciais. A partir de simbolismos satíricos que ecoam interpretações críticas da vida cotidiana / história brasileira como forma de sublinhar a colonização hegemônica e as consequentes estratégias de subversão e visibilidade entre os campos contemporâneo e tradicional.

Sobretudo, no que tange a desigualdade social:  imagem precária” - corpos e objetos marginalizados e ofuscados - e a presença das tradições divinas e religiosas são reinseridas em novos contextos. Proposta de revisão histórica dicotômica e formulação de um fictício Apocalipse Brasileiro. O profeta, como é conhecido em seu círculo, criou mais de 200 obras, por conta de sua capacidade de transmitir idéias rapidamente. O processo de pintura vem se expandindo devido à necessidade de dialogar diretamente com o público em geral e os seguidores da igreja que não foram educados com os cânones e convenções do mundo da arte contemporânea. Sem estabelecer uma ordem hierárquica entre os diferentes meios e sem que haja perda de seu potencial poético expressivo, uma vez que a escolha de cada suporte advém da ideia poética que o artista pretende tornar realidade. 

Obras do artista