Artistas

Bruno Cançado

O trabalho de Bruno Cançado se baseia na arquitetura e como ela entrelaça a paisagem, a esfera pública, o habitar. O artista desenvolve sua prática a partir da fisicalidade das coisas, se apropriando da memória e significados inerentes aos materiais. As esculturas de Bruno Cançado muitas vezes possuem sua materialidade transfigurada pela sugestão de uma outra materialidade distinta, propondo um jogo com sentidos preestabelicidos e deslocando nossa experiência do que é familiar.

Bruno Cançado é formado em Comunicação Social pela PUC-Minas e Artes Plásticas (habilitação em desenho e escultura) pela Escola Guignard UEMG.; é mestre em fine arts pela Cornell University (Ithaca, Nova York).

Entre as exposições individuais estão: Jardim, Central Galeria (São Paulo, SP, 2017); Trinca, AM Galeria (Belo Horizonte, MG, 2016); Thin Failure, Hudson D. Walker Gallery (Provincetown, EUA, 2015); Drawing to No End, Milepost 5 (Portland, EUA, 2012).

Entre as exposições coletivas estão: Duas Naturezas, Central Galeria (São Paulo, SP, 2017); Artes Visuais em Revista, curadoria de Guilherme Bueno, Espaço Cultural BNDES (Rio de Janeiro, RJ, 2016); Afluente, curadoria de Emmanuelle Grossi, Galeria Mama/Cadela (Belo Horizonte, MG, 2015); 2014-2015 Visual Arts Fellows, Provincetown Art Association and Museum (Provincetown MA, EUA, 2015); Through the Surface of the Pages, curadoria de Júlio Martins, Universidade de Harvard (Cambridge, EUA, 2012); Partilha, Galeria Oscar Cruz (São Paulo, SP, 2012); Nova Escultura Brasileira, curadoria de Alexandre Murucci, Caixa Cultural (Rio de Janeiro, RJ, 2011); Crônicas Urbanas, Galeria Anna Maria Niemeyer (Rio de Janeiro, RJ, 2011).

Entre os prêmios, bolsas e residências que participou estão: prêmio PIPA 2017; residência Instituto Sacatar (Itaparica, BA, 2015/2016); residência Fine Arts Work Center in Provincetown MA, (Provincetown, EUA, 2014/2015); prêmio Abre Alas 11, com curadoria de Daniel Steegmann Mangrané, Livia Flores e Michelle Sommer, na Galeria A Gentil Carioca (Rio de Janeiro, RJ, 2015); Prêmio Bolsa Residência ICCo-SPArte 2014, Fundação Bienal de Cerveira (Vila Nova de Cerveira, Portugal, 2014); residência Bemis Center for Comtemporary Arts (Omaha, EUA, 2013); 37° Salão de Arte de Ribeirão Preto, seleção de Bitu Cassundé, Leda Catunda, Nilton Campos e Ricardo Resende, Museu de Arte de Ribeirão Preto (Ribeirão Preto, SP, 2012), residência I-Park Residency Program, I-Park Foundation (Connecticut, EUA, 2011).

Tem trabalhos nas coleções: Coleção Sattamini, MAC Niterói (Rio de Janeiro, RJ) e Coleção do Museu de Arte do Rio- MAR (Rio de Janeiro, RJ).

Obras do artista