Artistas

André Toral

Paulistano, 52 anos, graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Antropologia Social pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutor em História pelo Departamento de História (FFLCH/ USP). Atualmente é professor de Estética e História da Arte nas Faculdades de Artes Plásticas e de Comunicações da Fundação Armando Álvares Penteado em São Paulo. Publica e pesquisa nas áreas de história da arte e antropologia. Sua dissertação de mestrado é sobre religião e organização social dos povos de língua Karajá; sua tese de doutorado é sobre a iconografia da guerra do Paraguai e foi publicada com o título de “Imagens em desordem” (editora Humanitas/ FFLCH-USP, 2001). demarcação da Terra Indígena Inywébohona (TO), 1998 Suas primeiras histórias em quadrinhos foram publicadas a partir de 1986 pela revista Animal. Já publicou também nas revistas Circo, Lúcifer e Chiclete com Banana entre outras. Em 1988 publica sua primeira graphic-novel, O Negócio de Sertão; em 1999 sua segunda graphic novel: Adeus, chamigo brasileiro. Uma história da guerra do Paraguai (Cia. das Letras, republicada em 2008). Essas graphic novel receberam o prêmio HQ Mix nos anos em que foram publicadas. Em 2009 publicou “Os brasileiros” (ed. Conrad). Desde julho de 2009 publica mensalmente duas páginas na revista “Brasileiros”. Trabalha também como consultor na área de antropologia aplicada desde 1978. Já ocupou cargos de confiança na FUNAI e já deu consultoria para o Ministério Público, organizações religiosas e laicas que trabalham com grupos indígenas do vale do Araguaia, como Karajá, Javaé, Avá-Canoeiro e Tapirapé. Já atuou também como consultor na área de educação indígena. Casado, atualmente vive em São Paulo.

Obras do artista