Artistas

Mano Penalva

Mano Penalva (Salvador de Bahia, Brasil, 1987), vive e trabalha em São Paulo.  O trabalho de Mano Penalva parte do estudo da Cultura Material, mudanças de comportamento e efeitos da globalização. Sua produção é deliberadamente não-representativa, permitindo que os materiais ditem a forma e se unam por conta própria a partir de um desejo de existirem no mundo. O artista explora a poesia obtida pelo deslocamento dos objetos de seu contexto cotidiano, trabalhando com diferentes mídias como pintura, fotografia, escultura e instalação. Ao criar os trabalhos, subverte o valor dos objetos do cotidiano, propondo novos agrupamentos estéticos a partir da relação das estratégias de venda do varejo e das suas experiências de coleta.

O processo de Mano Penalva envolve seu interesse pela antropologia e formação cultural, que se materializa nessa urgência em se apropriar de artigos comuns encontrados e adquiridos na rua e mercados populares. Sendo assim, pode-se reconhecer uma quebra de fronteiras e uma linguagem  globalizada a partir da natureza dos materiais e objetos que compõem seus trabalhos, seja na apropriação de uma iconografia nacional familiar ou na justaposição desta à outras iconografias de diversas partes do mundo, subvertendo os valores e significados originais e costurando discursos de cunho sócio-filosóficos que são evidenciados pelas formas dos objetos criados.

Seu trabalho traz reflexões sobre o caráter dos objetos, como eles transitam pelo mundo, as relações de troca e acordos comerciais entre países. Eles adquirem diferentes camadas de significados quando utilizados por diferentes culturas, impactando na formação dos costumes de uma sociedade. Mano realça com seus trabalhos a ideia que a exponencial proliferação de objetos e imagens não se destinam a treinar a percepção ou a consciência, mas insistem em fundir-nos com eles.

“Gosto de pensar que meu trabalho é sobre as coisas do mundo, onde a improvisação, reutilização e reconfiguração estão em jogo. Me interesso na forma cotidiana da construção urbana, uso decorativo e prático do material, que de alguma forma refletem as realidades sócio-econômicas e culturais de um povo."

Entre as exposições individuais estão: Acordo, Central Galeria, texto Juliana Monachesi, (São Paulo, Brasil, 2019); Hasta Tepito, B[X] Gallery, curadoria Julie Dumont, (Brooklyn, NY, 2018); Requebra, Frederic de Goldschmidt Collection, curadoria Julie Dumont (Bruxelas, Bélgica, 2018); TRUK(ə), Soma Galeria, curadoria Josué Mattos (Curitiba, PR,  2018); Proyecto para Monumento, Passaporte Cultural, curadoria Yunuen Sariego (Cidade do México, MX, 2017); Andejos, Museu de Arte de Ribeirão Preto, com texto crítico de Olivia Ardui (Ribeirão Preto, SP, 2017); Estado Sul, Camelódromo, curadoria Franck Marlot (Porto Alegre, RS, 2017); Balneário, Central Galeria, com texto crítico de Bernardo Mosqueira (São Paulo, SP, 2016); Deslocamento, Qual Casa, com texto crítico de Tarciso Almeida (São Paulo, SP, 2015), como parte do projeto Mesmo Lugar do Jardim do Hermes. 

Entre exposições coletivas que participou estão: What I really want to tell you..., Atchugarry Art Center, Curadoria Jeniffer Inacio ( Miami, 2019); 24º Salão Anapolino de Arte, (Anápolis, GO, 2019); RECIPES FOR A B_R_Z_L_ ?, Spring Break/UN Plaza, Curadoria: Tatiane Santa Rosa/AnnexB (New York, 2019); DEVANIR, HELENIRA, ZULEIKA, VLADIMIR, Duas Galerias, Curadoria: Wagner Nardy, (Belo Horizonte, MG, 2019); Bienal das Artes, SESC Distrito Federal, Curadoria Enock Sacramento (Brasília, DF, 2018); Ser, Habitar e Imaginar, Concrete Space, Curadoria Adriana Herrera (Miami, EUA, 2018); Blockchain/Alternative barter: a new method of exchange?, B[x] Gallery, curadoria Pia Coronel (Brooklyn, Ny, 2018); O Maravilhamento das Coisas, Galeria Sancovisky, curadoria Julie Dumont (São Paulo, SP, 2018); A Bela e a Fera, Central Galeria, curadoria Leda Catunda (São Paulo, SP, 2017);  Hecha la ley, hecha la trampa, Hangar, curadoria Maykson Cardoso (Barcelona, BCN, 2017); As coisas se escoram tortas, Divisão de Artes Plásticas da Uel, curadoria Danilo Villa e Ricardo Basbaum (Londrina, PR, 2017);  Área,  Espaço Saracura, curadoria Omar Porto (Rio de Janeiro, RJ, 2017); Comensais, Projeto A MESA, curadoria Maykson Cardoso (Rio de Janeiro, RJ, 2016); Secretaria Insegurança Pública, SAO Espaço de Arte, curadoria Caroline Carrion (São Paulo, SP, 2016); 41º SARP - Salão de Arte de Ribeirão Preto, Museu de Arte de Ribeirão Preto (Ribeirão Preto, SP, 2015); Arranjos, SAO Espaço de Arte, com texto crítico de Mariana G. Leme (São Paulo, SP, 2016); Simphony of Hunger: Digesting FLUXUS in five moviments,  A PLUS A Gallery, curadoria September Collective (Veneza, IT, 2015); CONTRAPROVA, Paço das Artes, curadoria Hermes Artes Visuais (São Paulo, SP, 2015); 22º Salão de Praia Grande (São Paulo, 2015), 40º SARP - Salão de Arte de Ribeirão Preto, Museu de Arte de Ribeirão Preto (Ribeirão Preto, SP, 2015);  L’imaginaire de l’enfance, Cité Internationale des Arts, curadoria Carlotta Montaldo (Paris, FR, 2015); VIDI ARTE, Mirante do Avrão, curadoria Roberta Fernandes (Rio de Janeiro, RJ, 2014); Yf you see something, say something, Lot 45, curadoria Group BR (Brooklyn, NY, 2014). 

Entre os prêmios que recebeu estão: 41º SARP-Salão de Arte de Ribeirão Preto (2015).

CV

Mano Penalva (Salvador/BA, 1987), vive e trabalha em São Paulo. É formado em Comunicação Social (PUC-RJ), onde também cursou Ciências Sociais com ênfase em Antropologia. Frequentou por 6 anos cursos livres de arte do Parque LagE.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

2019

  • Acordo (Central Galeria, São Paulo) - Texto: Juliana Monachesi

2018 

  • Hasta Tepito (b[X] Gallery - Nova Iorque) - Curadoria: Julie Dumont

  • ReQuebra (Frédéric de Goldschmidt Collection - Bruxelas) - Curadoria: Julie Dumont

  • Truk(ə) (Soma Galeria - Paraná) - Curadoria: Josué Mattos

2017 

  • Proyecto para Monumento (Passaporte Cultural - Cidade do México) - Curadoria: Yunuen Sariego

  • Estado Sul (Camelódromo POP Center - Porto Alegre) - Curadoria: Franck Marlot

  • Andejos (Museu de Arte de Ribeirão Preto - São Paulo) - Texto: Olivia Ardui

2016 

  • Balneário (Central Galeria - São Paulo) - Texto: Bernardo Mosqueira

2015 

  • Deslocamento (Qual Casa - São Paulo) como parte do Projeto Mesmo Lugar - Jardim do Hermes

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

2019

  • What I really want to tell you..., Atchugarry Art Center, Miami (EUA), Curadoria Jeniffer Inacio (the55project)

  • 24º Salão Anapolino de Arte, Anápolis (GO), Seleção: Vânia Leal, Ralph Gehre, Josué Mattos e Paulo Henrique Silva

  • Litro por Kilo, Massapê Projetos, São Paulo (SP), Texto: Leandro Muniz

  • RECIPES FOR A B_R_Z_L_ ?, Spring Break/UN Plaza, New York (EUA), Curadoria: Tatiane Santa Rosa (AnnexB)

  • DEVANIR, HELENIRA, ZULEIKA, VLADIMIR, Duas Galerias, Belo Horizonte (MG), Curadoria: Wagner Nardy

2018

  • Molt Bé, Galeria Portas Vilaseca, Rio de Janeiro (RJ), Curadoria: Raphael Fonseca

  • Festival ZUM 2018 com o livro Páginas Amarillas, Instituto Moreira Salles, São Paulo

  • Bienal das Artes, SESC Distrito Federal, Curadoria: Jacob Klintowitz, Enock Sacramento, César Romero, Rinaldo Morelli and Maurício da Silva Matta

  • Ser, Habitar e Imaginar, Concrete Space, Miami (EUA), Curadoria: Adriana Herrera

  • Blockchain/Alternative barter: a new method of exchange?, B[x] Gallery, Brooklyn, Ny, Curadoria: Pia Coronel

  • O maravilhamento das coisas, Galeria Sancovisky, São Paulo, Curadoria: Julie Dumont

2017

  • A Bela e a Fera, Central Galeria, São Paulo, Curadoria: Leda Catunda

  • Library of love, Contemporary Arts Center of Cincinnati, Ohio (EUA), Organização: Sandra Cinto

  • Área, Saracura, Rio de Janeiro, Curadoria: Omar Porto

  • As coisas se escoram tortas, Universidade Federal de Londrina, Paraná, Curadoria: Danillo Villa e Ricardo Basbaum

  • Hecha la ley, hecha la trampa, Calçada da Gloria, Rio de Janeiro, Curadoria: Maykson Cardoso

  • Hecha la ley, hecha la trampa, Hangar - Barcelona, Curadoria: Maykson Cardoso

  • 45º Salão Luiz Sacilotto, Santo André - São Paulo

  • 49º Salão de Piracicaba - Piracicaba - São Paulo

  • UNS, Espaço BREU - São Paulo

  • Arranjos, SAO Espaço de arte, São Paulo, Texto: Mariana Leme

2016

  • Comensais, Projeto A MESA, Rio de Janeiro, Curadoria: Maykson Cardoso

  • Secretaria de Insegurança Pública, SAO Espaço de Arte - SP, Curadoria: Caroline Carrion

  • 41º SARP, Salão de Arte de Ribeirão Preto, MARP - São Paulo

  • Arranjos, SAO Espaço de Arte - São Paulo, Texto: Mariana Leme

2015

  • Simphony of Hunger: Digesting FLUXUS in five movements, A PLUS A Gallery - Veneza, Itália, Curadoria: September Collective

  • CONTRAPROVA, Paço das Arte - São Paulo

  • 22º Salão de Praia Grande - São Paulo

  • 40º SARP, Salão de Arte de Ribeirão Preto, MARP - São Paulo

  • L’imaginaire de l’enfance, Cité Internationale des Arts - Paris, França, Curadoria: Carlotta Montaldo

Formação Acadêmica:

  • Descolonizar o Inconsciente com Suely Rolnik - Núcleo de Subjetividade (aluno ouvinte PUC -SP) - 2018

  • Ready-made e imagens prontas como alegorias Neobarrocas com Sergio Romagnolo (aluno ouvinte UNESP) - 2018

  • Acompanhamento de Projetos no Jardim do Hermes com Nino Cais, Carla Chaim e Marcelo Amorim - 2014/2018

  • Megamorfosis com Eduardo Abaros em Soma México - 2017

  • Curso de extensão em História da Arte Museu da Imagem e do Som - São Paulo - 2012

  • Curso de extensão em História da Arte Museu de Arte de São Paulo - 2011

  • Graduação em Comunicação Social- Pontifícia Católica do Rio de Janeiro - 2005 - 2008

  • Cursos livres de arte da EAV - Escola de Arte do Parque Lage, Rio de Janeiro - 2005 - 2010

Residências:

  • AnnexB - Nova Iorque (EUA) 2018

  • Penthouse Art Residence - Bruxelas (Bélgica) 2018

  • R.A.T - Residência Artistica por Intercâmbio Cidade do México (México) 2017

  • Pop Center - Camelódromo Porto Alegre (Brasil) 2017

  • Conartist - New York (EUA) 2014

Coleções:

  • Frédéric de Goldschmidt Collection - Bruxelas - Bélgica

  • PAT Art Lab - Augsburg - Alemanha

  • Acervo - MARP, Museu de Arte de Ribeirão Preto - Brasil

  • Acervo da Laje - Bahia - Brasil

Prêmio:

  • 41º SARP, Salão de Arte de Ribeirão Preto. Sua obra faz parte do acervo do MAR

 

Obras do artista