Artistas

Renata Har

Renata Har
1981, vive e trabalha em São Paulo

Renata Har é uma artista brasileira. Depois de começar seus estudos em Artes Plásticas em sua cidade natal, na Fundação Armando Álvares Penteado, a artista partiu para a École Nationale Supèrieure des Beaux Arts de Paris, onde integrou o atelier de Christian Boltanski, e obteve seu diploma de mestrado.

Usando elementos que normalmente tendem ao mundano, seu trabalho reflete sobre a iminência da desapa- rição e a brutalidade da impermanência. Explorando o fino espaço entre aquilo que vemos e o que permanece despercebido, Har cria um ambiente de instabilidade latente que conta histórias sobre memória, identidade e invisibilidade.

Tecendo linhas semânticas que conectam um objeto à outro, um material à outro, um significante à outro, avolatilidade intrínseca à vida humana emerge, assim como a presença atemporal das coisas e dos sentimen- tos nesta vida. Existe em seus trabalhos um sentido de tensão e expectativa, um lembrete constante, de que a arte é mais sobre processos contínuos do que sobre artefatos reificantes

Suas exposições individuais incluem “Like a Type of Wind”, galeria Gisèle Linder, Basiléia, Suíça (2020), “Ala-bastro”, galeria Silvia Cintra+Box4, Rio de Janeiro, Brasil (2017), ’Behold’, L’Atelier-ksr, Berlim (2015),
‘On different silences’, La Maudite, Paris (2014), ‘Sparkling Ashes’, Team Titanic, Berlim (2013). Exposições coletivas nacionais e internacionais incluem, 10a Bienal do Recôncavo, Bahia, Brasil (2012), Wabi Sabi, Mendes Wood DM , São Paulo (2012),Condo, Galeria Vermelho, São Paulo (2018), NON, Savvy Contempo- rary, Berlim (2014), ’unexpected others’, L’Atelier-ksr, Berlim (2016), ‘Cooking with John(s), curado por Conglomerate tv, Peles Empire, Berlin (2018), ‘Touch, Vorspiel/Transmediale’, Berlim (2017), ‘Under Construc- tion Gallery’, Paris (2017), ’Festival Berges de Seine / Oi Brasil’, Berges de Seine, Paris (2014).

Seu trabalho foi nomeado para o prêmio Keskar (2011) e Cifo Prize (2018/19). A artista também integra o coletivo de artistas AGORA em Berlim com quem performou entre outros, no Museu Alimentarium, Vevey, Suíça (2018) , Kunsthalle Osnabrücke, Alemanha (2017) e Instituto Cervantes de Berlim, Alemanha (2013).

Obras do artista