Artistas

Juliana Sícoli

A mineira Juliana Sícoli encontrou na arte visual seu melhor meio de expressão e, desde 2008, dedica-se exclusivamente a ela, tendo a fotografia como seu principal suporte.

Nascida numa família de psicólogos e artistas, cresceu familiarizada com discussões sobre questões existenciais, herdando um senso de observação apurado e um interesse genuíno por sentimentos e pela arte. Tudo isso a despertou para uma busca incessante de desdobrar narrativas que capturem a verdadeira essência do assunto a ser retratado.  

Sua fotografia furta-cor tem enfoque em enquadramentos poéticos e flerta com elementos naturais, emocionando na arte de desenhar com a luz natural. O resultado final é impresso em papel de algodão fineart, com pigmentos minerais e, em algumas obras específicas, a artista ainda soma impressão em tecido ou faz intervenções com tinta acrílica.

Em 2014, Juliana criou o projeto “Mulheres que Inspiram”, abordando o tema de apropriação da força feminina, de extrema importânciapara ela. E, em 2016, as obras da série Metamorfose representaram um marco no seu percurso com participação na coletiva “Ser e Sentir-se”, onde falousobre o processo doloroso - mas libertador - de transformação e crescimento pessoal.

 

No ano de 2017, a galeria Orlando Lemos (BH) apresentou seu trabalho em exposição individual com a série “Passagens” e, em 2018, a GWS & Gallery  (SP) expôs sua individual intitulada “Magmaluz”. As 19 composições singulares apresentadas fizeram o uso explosivo de cores – característica muito marcante na trajetória da autora – e fortaleceram sua presença no meio artístico, garantindo sua participação nas SP Arte e SP Foto do mesmo ano.

 

Em 2019, o Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão-BH) adquiriu para a coleção da instituição a obra “Gigante Poesia”, parte do projeto “Gigantes Silenciosos”, desenvolvido durante dois anos fotografando estádios vazios ao redor do mundo. Um dos principais objetivos do projeto é unir arte e cultura popular, ao despertar no público o interesse em enxergar além da superfície concreta e dura do concreto armado, mostrando que a arte pode estar em todos os lugares.

 

Seu portfólio também é composto pelas séries: Arrhythmias, Carcerem, Inquietudine, (In) progress, Rio e Mar, Pinturas, Linee, Ragiologiee, Sublimação e Botanical.

Obras do artista