Artistas

Paulo Juno

Meu trabalho tem uma relação intima com o lugar da arquitetura urbana, com a experimentação que é a contemplação dos espaços da cidade, seja, parado em uma praça ou na rua observando os corpos arquitetônicos ao meu redor, seja, observando uma imagem, um vídeo ou até mesmo, caminhar com o street view do Google por diversos lugares e cidades. Normalmente no meu trabalho eu não denomino qual cidade estou usando como referencia, é a cidade, eu gosto de colocar apenas essa palavra para definir meu trabalho, um complexo de formas e objetos ligados a arquitetura que vemos todos os dias e quase sempre nunca notamos ou paramos para observar, para contemplar o que aquele lugar está nos mostrando ou até mesmo nos falando.   

Vejo a cidade como um espaço com diversos lugares com estímulos arquitetônicos prontos para o observador entrar ou ser engolido por eles. Entendo a cidade como uma grande fotografia onde seus habitantes fazem intervenções diárias em sua forma, é um espaço mutável e carregado de memória.

Essa minha inquietação com as formas cidade vem de muito tempo, durante todo período que estive na academia de artes visuais apliquei essa vontade de falar de arquitetura urbana nas técnicas propostas, como: desenho, pintura, instalação e outros. Nesse período da academia tive contato com a gravura onde descobri uma relação muito forte da técnica com minha poética, e anteriormente a academia tive contato com os processos de impressões gráficas então foi uma técnica trouxe um resultado muito interessante pro meu trabalho. A partir da gravura passei a pensar mais na experimentação das minhas habilidades no design gráfico como técnica para criação das minhas obras, nesse momento chego na digigravura que é a criação ou manipulação de imagens através de algum software gráfico.

A digigravura é hoje meu processo de criação mais usado, onde minha matriz é a tela do computador onde faço minhas experimentações e manipulações visuais para chegar no resultado plástico do que penso e percebo ser a cidade, é um processo em evolução.

Obras do artista