Artistas

Júlio Vieira

SP, 1985. Julio Vieira experimenta a arte como produção de vida. Suas impressões sobre a metrópole atravessam a sua obra, assim como a flora e suas formas funcionam como matéria prima para suas meta-paisagens. O artista faz relações entre o micro e o macro na natureza, propondo uma realidade alterada por meio da estrutura das cores e da escala, ressaltando a biodiversidade. Para tal, além de utilizar como referência fotos de seus caminhos diários, tomando as memórias e o contemporâneo como ponto de referência, apropria-se de mecanismos como a Sequência de Fibonacci - proporção áurea e geometria sagrada – nas suas composições, produzindo um material híbrido que conecta passado e presente.

Obras do artista