Artistas

Fyodor Pavlov-Andreevich

Fyodor começou a fazer performances em 2008. Os primeiros projetos desenvolvidos por ele foram imediatamente aclamados no mundo artístico: em 2009, o curador Hans-Ulrich Obrist convidou Fyodor para participar de um grupo de performances artísticas, Marina Abramovic Apresenta, nas Galerias Whitworth, no Festival Internacional de Manchester, com a apresentação de sua performance ao vivo Templo da minha boca; em 2010, o diretor do museu MoMA PS1, Klaus Biesenbach, e a fundadora do Performa Biennial, RoseLee Goldberg, incluíram a Egobox de Fyodor no Festival Internacional de Performances (Museu Garage de Arte Contemporânea, em Moscou). As performances individuais de Fyodor foram exibidas em museus e centros de arte mundo afora: no Centro Cultural de São Paulo (São Paulo), no Kunstlerhaus (Viena), em Faena (Buenos Aires), no Centro Cultural do Banco do Brasil (Brasília), para listar alguns, assim como nas seguintes galerias: Paradise Row (Londres), Stanislas Bourgain (Paris), NON (Istambul), Pechersky (Moscou) e Deitch Projects (Nova York). A instalação Fyodor’s Performance Carousel foi feita na Áustria e na Argentina e recebeu o Grand Prix de melhor arte multimídia, compartilhado com Ragnar Kjartansson, na premiação Kuryokhin International Prize. Em 2017 MAC-USP em Sao Paulo mostrou a maior exposição indiviual de Pavlov-Andreevich, Os Monumentos Temporarios. Os trabalhos artísticos de Fyodor estão registrados nos seguintes livros: “Marina Abramovi? e o Futuro da Performance Artística” (tradução livre) (2010, Prestel), ’Performance 2000-2013”, editado por RoseLee Goldberg (2015, Taschen) e Visionaire 25 (2016, Rizzoli).

Obras do artista