Poéticas Femininas por Adriana Rede

por Adriana Rede Adriana Rede

MÊS INTERNACIONAL DA MULHER

 

POÉTICAS FEMININAS                                               

Como curadora, não fiz uma seleção para mim, procurei fazer uma mostra como que para uma exposição, voltada para quem pretende aos poucos formar uma coleção com um sentido que o traduza.

Nesta primeira seleção curatorial, para comemorar o Mês Internacional da Mulher, a temática será voltada a obras criadas por mulheres, com temas femininos. Selecionei somente trabalhos criados por artistas do presente, cada uma com sua poética própria, somente imagens figurativas representando questões pessoais, cada uma delas pautando suas histórias por um olhar pungente e sensível. 

Algumas obras fomentam a reflexão através da delicadeza da memória como na obra "Sala Rosa" de Flavia Junqueira, "Sogra e Quadros" de Cristina Canale e "Verdades Não Muito Maiores do que Meus Medos" de Thais Beltrame, esta já insinuando a solidão.

Outras comentam questões sociais de nosso tempo, apontam desigualdades, conflitos políticos, fazem denúncias. Indignação em instâncias de luta. Como vemos em Camila Soato com a obra "Presente", Luisa Almeida em "Cerco", Lyz Paraíso com seu "Bracelete Lança". Lyz ainda agrega à sua poética questões de identidade e sexualidade por ser uma artista transexual.

Algumas lançam mão do próprio corpo como instrumento de trabalho, como Monica Piloni, tratando de amor, paixão, angústia e estranhamento na fotografia "E por que haverias de querer minha alma na sua cama?"E Luciana Magno com a fotografia da "Série Orgânicos" ainda agrega ao trabalho questões ambientais. Obras repletas de significado, expõe suas fragilidades sociais, físicas e psíquicas como sujeito.

Intimidades femininas com muitas possibilidades poéticas são retratadas nas obras de Lia Menna Barreto, "Sayuri", Denise Milan, "Fertilidade" e Talitha Rossi, "Amantes #2".

Outras nuances das relações humanas como sonhos, angustias, sofrimento, preconceito, permeiam as obras de várias artistas. Como Bel Barcellos, em devaneio na obra da série "Aonde está Você?".Sofrimento na escultura de Claudia Nêm, "Yeyé Omo Ejá", e na pintura de Vania Mignone "SemTítulo (mulher chorando)". E todas as nuances acima representadas na obra de Andrea Rocco com "Mood of the day".

Espero que esta seleção tenha tocado você através de suas possibilidades poéticas. Sugiro procurar suas afinidades e descobrir como "aquela" obra mexeu com seu coração.

 

Adriana Rede é curadora independente no Brasil e exterior, tem formação em Comunicação Social, História da Arte, Curadoria e Expografia e Crítica de Arte. Realizou co curadoria no MAM SP, e curadoria em museus como MAJ, SESC, Caixa Cultural SP, MAC USP e Bienal de Curitiba, além de galerias e instituições. Ocupa há 14 anos a posição de curadora da exposição Chapel Art Show. Realizou curadorias de vários artistas, entre eles Nelson Leirner e German Lorca. Escreve textos críticos sobre obras/artistas/exposições/movimentos. Curadoria para criação ou expansão de coleções particulares ou institucionais. Palestrante no Brasil e exterior.