Artistas

Paloma Bosquê

A rotina do ateliê é o ponto de partida de boa parte da pesquisa de Paloma Bosquê. Nesse ambiente, a artista manuseia e associa livremente materiais pouco usuais no vocabulário da escultura para criar composições espaciais de formatos e escalas variadas. Bosquê desenvolve métodos específicos para unir, sobrepor e emendar os materiais que escolhe para trabalhar, evitando qualquer forma mais definitiva de interação- o encaixe ao invés da solda. A busca constante por um equilíbrio possível e uma interação consensual entre os elementos no espaço norteia toda a produção da artista. 

Latão, feltro, bronze, carvão, breu, cera de abelha, tripas de boi, papéis artesanais, peneiras de café e lã são utilizados indiscriminadamente. A procedência ou a potencial carga simbólica de cada um dos itens empregados pela artista interessam menos do que sua presença física. É através das relações entre textura, peso e a transformação natural dos materiais orgânicos, que constrói um território de extrema delicadeza visual. 

Cada composição é singular: os feltros e os teares são feitos à mão e se adaptam a cada escolha da artista, as peneiras de café guardam marcas de uso - cada uma envelhece a seu tempo - e não há duas peles de bode iguais. O foco de Bosquê está na transitoriedade da matéria e na impermanência. Seus trabalhos nos lembram de como são frágeis os acordos que sustentam tudo o que consideramos permanente ou irrevogável. 

Paloma Bosquê (Garça, 1982) vive e trabalha em São Paulo, Brasil. 
Suas mostras individuais recentes incluem O Oco e a Emenda, Pavilhão Branco, Museu da Cidade, Lisboa (2017); Campo, Mendes Wood DM, São Paulo (2016); O Incômodo, Pivô, São Paulo (2015). 
Seus trabalhos também foram inclusos em mostras coletivas institucionais como Brasile. Il coltello nella carne, Pac - Padiglione d'Arte Contemporanea, Milão (2018); Bienal de Coimbra, Coimbra (2017); Mycorial Theatre, Pivô, São Paulo (2016); Projeto Piauí, Pivô, São Paulo (2016); Roberto Burle Marx: Brazilian Modernist, The Jewish Museum, Nova York (2016); United States of Latin America, Museum of Contemporary Art Detroit, Detroit (2015).

Obras do artista