Exposição "Há coisas entre nós que não dizemos em voz alta" | Bruno Passos

Galeria Kogan Amaro - Alameda Franca, 1054 - Jardim Paulista

Exposição "Há coisas entre nós que não dizemos em voz alta" | Bruno Passos

Pinturas e esculturas sensoriais de Bruno Passos são exibidas na Galeria Kogan Amaro

Em sua estreia pela Galeria, o artista retrata experiências pessoais de suas expedições
carregadas de tensões emocionais

 

 

Entre o visível e banal do mundo e a sua assimilação através dos sentidos, está o que não pode ser traduzido em palavras. Este fluxo sútil das "entre coisas" move o trabalho realista de Bruno Passos, que utiliza de preceitos da pintura clássica, com uma leitura contemporânea, para convidar o público a sentir e estar presente. Um conjunto destas obras será exibido em Há coisas entre nós que não dizemos em voz alta, exposição que entra em cartaz na Galeria Kogan Amaro a partir de 25 de setembro.

Estilista de formação, Bruno Passos teve seu primeiro contato com a pintura há 8 anos, após conhecer um livro do pintor Henri Matisse (1869-1954). Desde então, o artista se dedica à técnica, a expandindo recentemente para o suporte da escultura. "A arte e a moda são expressões interconectadas, mas, ao mesmo tempo, prefiro me dedicar a apenas uma delas para me aperfeiçoar. Meu próprio pensamento escultórico utiliza da premissa de uma pintura para esculpir. Via de regra, eu não me imagino fazendo nada a não ser pintar ou fazer esculturas", comenta o artista.

Para a mostra, serão exibidos trabalhos produzidos durante o período da pandemia da Covid-19. As esculturas foram criadas há cerca de um ano e a maioria das pinturas nasceram durante a residência do artista na FAMA Museu. As obras feitas na instituição sediada em Itu, no interior de São Paulo, possuem uma ligação com o espaço, um galpão tombado de aproximadamente 400m2 utilizado por Passos como ateliê, incorporando a sua textura, escala e características sobre a tela.

A dificuldade em importar tecidos do exterior levou o artista a se adaptar às ferramentas disponíveis e nada convencionais, como facas e machados, e materiais utilizados durante uma reforma no local, como tablados de madeira. Apesar disso, todos os trabalhos respeitam o preceito da conservação. Sobre a obra do artista, o historiador Leandro Karnal, convidado a elaborar um texto crítico da mostra, comenta: "As ‘entrecoisas’ surgem com muitos suportes, desde o óleo sobre a tela até o compensado naval. Bruno experimenta. O cinzel pode ser substituído, em algumas esculturas, pela faca. Serão notados golpes de machado em outras pinturas. Há um barbarismo estetizante e cheio de energia. A tinta acrílica e suas fronteiras fortes deve dialogar com o oriental e sóbrio nanquim. Nada fica muito fixo como método."

Todas as obras são criadas a partir de experiências pessoais do artista em expedições pelo Brasil, como o Vale do Ribeira, no Petar, em São Paulo; praia de Maranduba, em Ubatuba; Rio Verde, em Goiás e o Rio Xingu, no Mato Grosso. "Nesses lugares eu desenvolvo uma série de esboços e os deixo guardados por meses. Depois de um tempo, os recupero e vejo o que ainda se sustenta e tem força para eu começar a produzir no estúdio", explica Passos.

Com a intenção de criar um trabalho sensorial, sobretudo acima da lógica descritiva, o artista retorna ao sentido etimológico da palavra Estética, que significa compreensão do mundo através dos sentidos. "O país de Bruno está imerso no que o artista denominou a ‘universalidade brutal dos sentidos’. Suas obras gritam contra a padronização atual, contra o ‘chapamento’ do real pelos discursos de marketing pessoal. Ele deseja o que pulsa, o que repulsa, o que atrai e choca. Bruno é seduzido pelo ser", reflete Karnal.

Ao longo da mostra, Bruno Passos promoverá duas rodas de conversa abertas ao público. Os encontros pretendem difundir e ampliar de maneira gratuita o conhecimento dos processos artísticos entre colegas de profissão e apreciadores de arte. As conversas acontecem nos dias 2 e 23 de outubro, das 11h às 14h, com vagas limitadas e inscrições pelo telefone (11) 3045-0755/0944 ou e-mail [email protected].

A Galeria Kogan Amaro funciona de segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e aos sábados, das 11h às 15h. com número limitado de visitantes, uso obrigatório de máscara, além da disponibilização de álcool em gel e orientação de distanciamento mínimo de 1,5 metro entre clientes e colaboradores.

Sobre Bruno Passos

Estilista de formação (UEL), Bruno Passos teve seu trabalho reconhecido como um dos participantes da identidade visual do SPFW (2009), exposto posteriormente na Bienal de Veneza, também foi selecionado para a Bienal do Design Brasileiro (2013) e, como estilista, fez aparições na Folha de São Paulo, Vogue e Valor Econômico. Bruno teve seu primeiro contato com a pintura tardiamente, aos 27 anos, após uma epifania, foi quando se retirou da Moda e começou a se dedicar integralmente a pintura onde, de modo precoce, colecionou premiações e seleções nos mais tradicionais salões de pintura clássica nacional: SBA de Piracicaba, SAV de Vinhedo, SBA de Limeira, entre outros.

Na sequência, foi o primeiro brasileiro aceito para ser aprendiz do pintor sueco Odd Nerdrum (MET-NY, National Gallery-Oslo, Museu de Gotemburgo), sua residência artística (Noruega 2016) foi bem-sucedida e, em 2017, recebeu novo convite para retornar e ser o assistente de Nerdrum em sua maior obra física, "Opening of the Prisons". A vivência escandinávia lhe abriu novos rumos, dos quais se destacam o convite para uma Exposição Individual na Secretaria de Cultura de São Paulo (2018) e a residência artística de um ano no museu FAMA, em Itu (2020-2021).

Sobre a Galeria Kogan Amaro

Localizada nas cidades mais populosas do Brasil e da Suíça, as unidades da galeria Kogan Amaro no bairro dos Jardins, em São Paulo, e no coração cultural de Zurique, na Rämistrasse, têm como norte a diversidade de curadoria e público: com portfólio composto por artistas de carreira sólida, consagrados internacionalmente, e também emergentes que já se posicionam no mercado de arte como promessas do amanhã. Sob gestão da pianista clássica Ksenia Kogan Amaro e do empresário, mecenas e artista visual Marcos Amaro, a galeria joga luz à arte contemporânea com esmero ímpar e integra as principais feiras de arte do mundo.

 

Serviço:

Há coisas entre nós que não dizemos em voz alta de Bruno Passos

Curadoria: Marcos Amaro

Texto crítico: Leandro Karnal

Local: Galeria Kogan Amaro

Abertura: 25 de setembro, sábado, das 11h às 17h

Período expositivo: 25 de setembro a 30 de outubro de 2021

Endereço: Alameda Franca, 1054 - Jardim Paulista

Horário: segunda à sexta, das 11h às 19h e aos sábados, das 11h às 15h

Informações: telefone (11) 3045-0755/0944 ou e-mail [email protected]

 

Formas de Pagamento Artsoul

RUA QUATÁ 845, VILA OLÍMPIA, CEP: 04546-044, SÃO PAULO - SP | CNPJ: 29.752.781/0001-52