Agenda

Exposição "Ambiente Moderno"

Ecarta - Av. João Pessoa, 943

Exposição "Ambiente Moderno"
Ecarta apresenta exposição de Gabriel Pessoto

Na quinta-feira (07.01), a Galeria Ecarta apresenta a mostra Ambiente Moderno, do paulista Gabriel Pessoto com curadoria do escritor carioca Gabriel Bogossian.

A exposição é composta por 13 trabalhos dispostos em diferentes mídias, reunindo fotografia, desenho, instalação e vídeo/GIF, produzidos entre 2019 e 2020. A pesquisa recente de Pessoto propõe um diálogo entre práticas e visualidades tradicionais com um repertório de vivências permeadas pelo consumo da imagem digital e pela discussão sobre sexualidade e papéis de gênero.

De acordo com o curador, algumas das obras parecem criar um pequeno curto-circuito de técnicas, em que o artista usa manuais de bordado para realizar vídeos, ou papel e têxteis para produzir objetos que não são adequados para a produção dos mesmos. "Outro ponto da obra reflete sobre o poder pedagógico das imagens, como elas nos educam e nos ensinam certas habilidades e formas de comportamento. Nesse sentido, é uma prática artística que se debruça sobre o valor moral das imagens, que buscariam segundo essa perspectiva nos instruir, moldar o comportamento", afirma.

Por último, conforme Bogossian, vale destacar o quanto essa pedagogia das imagens tem ligação com os aprendizados de gênero, um assunto muito em voga nas discussões feministas e do ativismo LGBTQI+ e que aqui e ali vem aparecendo com mais força na produção artística contemporânea. "É uma reflexão, portanto, com uma carga política consistente e sutil, que se liga de uma maneira bastante original às discussões atuais no campo da arte e da cultura", constata.

A visitação é gratuita seguindo protocolos sanitários e pode ser realizada até 31 de janeiro na Ecarta (Av. João Pessoa, 943), de terça-feira a domingo, das 10 às 18h.  

Um pouco mais sobre o artista, o curador e o local:  
Gabriel Pessoto (1993, Jundiaí/SP) - em 2020 participou de exposições em São Paulo, incluindo "Ressetar" (Museu da Diversidade Sexual), "Cálamo" (Massapê Projetos) e "Quase Fim" (Lona Galeria). Integrou as exposições internacionais "I do not ask any more delight" (Estados Unidos) e "Corpo Brasileiro" (Alemanha e Portugal). Foi selecionado para a temporada de projetos do Marp (Museu de Arte de Ribeirão Preto) e premiado pela revista ArtConnect pelo projeto "Trocando figurinhas", desenvolvido em parceria com Nicole Kouts. A partir de 2015 participou de exposições coletivas e em 2016 apresentou sua primeira mostra individual, além de desenvolver o projeto de residência artística "Variações sôbre contato: vistas" na Casa13 (Córdoba/ Argentina). Estudou Produção Audiovisual (Puc-RS) e Artes Visuais (Ufrgs).

Gabriel Bogossian (1983, Rio de Janeiro/ RJ) - a prática de Bogossian aborda alguns dos ecos contemporâneos da colonização, com frequência articulando diferentes campos da cultura visual, como a arte, o jornalismo e os movimentos sociais. Foi curador convidado da 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Comunidades Imaginadas (São Paulo, 2019) e da Screen City Biennial 2019 – Ecologies: Lost, Found and Continued (Noruega, 2019), além de curador adjunto do Galpão VB (2016-2020). Destacam-se entre suas curadorias as exposições Minerva Cuevas – Dissidência (Galpão VB, São Paulo, 2018); Alma de Bronze (Ocupação 9 de Julho, São Paulo, 2018); Nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno (Galpão VB, São Paulo, 2017); O museu inexistente n. 1 (Funarte, São Paulo, 2017), com Victor Leguy; Akram Zaatari – Amanhã vai ficar tudo bem (Galpão VB, São Paulo, 2016); e Cruzeiro do Sul (Paço das Artes, São Paulo, 2015).

Galeria Ecarta - é um dos cinco projetos permanentes da Fundação Ecarta, que completou 15 anos, em Porto Alegre (RS). O espaço recebe, em média, seis exposições anuais e promove itinerâncias, laboratórios de curadoria, residência artística e montagem, entre outras atividades próprias e em parceria com instituições em âmbito local, regional e nacional. A coordenação é do artista, curador e gestor cultural, André Venzon.