Artistas

Marcelo Gandhi

Natal, RN, 1975. Vive e trabalha em São Paulo. Fragmentação e hibridismo do corpo e linguagem, arquiteturas do desejo, espaços psicológicos e míticos, destituição de símbolos advindos da publicidade e de mídias de massa, acúmulo, vazio e pop arte são questões e práticas presentes na obra de Marcelo Gandhi. Para isso, o artista faz uso de múltiplos suportes como desenho, objeto, pintura, performance e música eletrônica. O conjunto de suas obras apresenta cruzamentos para se pensar a abstração a partir de triangulações díspares, como a arte sem objeto, o grafismo do homem do Paleolítico ao antigrafismo do homem contemporâneo. São obras que buscam desconstruir as imagens e formas, com variados graus de violência e intensidade.

Seu trabalho está presente na coleção do Centro Cultural Dragão do Mar – MAC/CE (Fortaleza, Ceará); Centro Cultural do Banco do Nordeste (Fortaleza, Ceará); Pinacoteca do Rio Grande do Norte (Natal, Rio Grande do Norte); Instituto Capitania das Artes (Natal, Rio Grande do Norte); Centro Cultural São Paulo (São Paulo, SP); Amba – Art of Africa, Brasil and Cuba (Londres, Inglaterra).

Principais Exposições Individuais: Marcelo Gandhi: 1500 a 2016 – Na Fresta (São Paulo, 2018); #seja vândalo, seja herói (fim da história da arte) - Galeria TATO (São Paulo, 2016); Suco de Máquina - Galeria Roberto Alban (Salvador, 2015); Cowboy + Xerife + Deus = Minotauro Desenho + Pintura + Objeto = Sacanagem - Galeria Tato (São Paulo, 2014); Dick it - Atelier da Barão (São Paulo, 2011); Heladeria - Zona de Arte Nación (Quilmes, 2009); A mente do oceano segundo deus ou a grande mentira - Pinacoteca do Rio Grande do Norte (Natal, 2005).

Principais Exposições Coletivas: P|M|G – Galeria Tato (São Paulo, 2017); 5° Festival Extra Performance, curadoria Pancho Lopes - Universidade Autônoma do México (Cidade do México); Dos Percursos e das Poesias - Centro Cultural Dragão do Mar – MAC (Fortaleza, Ceará); Projeto Móbile Radio/ Projeto Cacofonia [Sarah Washington e Knut Aufermann] - 30º Bienal de São Paulo (São Paulo); Ikra Dance Festival - Landscape Bodie (Stockolmo, Suécia); Jogos de Guerra - Centro Cultural da Caixa (Rio de Janeiro – RJ); Bienal Internacional de Performance Deformes – O Corpo Colonizado (Santiago e Valparaíso – Chile); Casa Del Artista - Ciudad de Cruz Vallejos (Patagônia – Argentina).

Obras do artista