Artistas

Marcelo Cipis

Com uma sólida carreira, o artista paulistano Marcelo Cipis (1959) transita por diversas linguagens como a pintura, desenho, colagem, instalação, escultura, entre outras. Formado em arquitetura pela FAU USP, inicia suas atividades como ilustrador editorial em 1977. Em 1982, vive uma temporada decisiva na Europa, quando visitas a diversos museus mudam o seu olhar e a sua relação com a pintura. De volta em São Paulo, realiza um acompanhamento de pintura com Dudi Maia Rosa. Em 1988, abre a sua primeira exposição individual na Galeria Documenta, também em São Paulo. Participa da 20ª edição da Bienal Internacional de São Paulo (1989) com a sala coletiva “Arte em jornal” e, em 1991, participa da 21ª edição com a instalação “Cipis Transworld, Art, Industry & Commerce”, onde cria um estande de uma empresa multinacional fictícia. Participa das 4ª e 5ª edições da Bienal de Havana (1991 e 1994). Como ilustrador ganha o Prêmio Jabuti em 1994, pela capa do livro “Como Água para Chocolate”, de Laura Esquivel, publicado pela Editora Martins Fontes.

Cipis é um artista versátil – ainda que o seu principal suporte seja o papel e a tela, ele não se deixa limitar, sempre buscando nos materiais as suas múltiplas possibilidades e dando vazão à sua mente extremamente criativa. Desde os anos 2000, quando ganha o importante prêmio da Fundação Pollock-Krasner em Nova York, vem expondo as suas obras em galerias e instituições pelo mundo, como a exposição “Alface” em 2018, na galeria Mendes Wood, São Paulo. Em 2019, participou com pinturas da Série Drops na 14ª Bienal de Curitiba. Atualmente Cipis é representado pela galeria Bergamin & Gomide, em São Paulo.

Obras do artista